sábado, 2 de fevereiro de 2013

Se me dissessem que ...

... um dia eu ia marcar lugares no jardim de infância, após já tantos anos de trabalho, eu diria que estavam loucos. Mas é verdade: o barulhento e desorganizado grupo que tenho este ano obrigou-me a tal, após uma conversa com uma colega e em que lhe contava o pesadelo (verdade!) que tive e no qual 2 adultos visitavam a minha sala e eu andava feita louca e envergonhada, porque eles gritavam e não conseguiam estar sentados. Ela contava-me que também este ano teve de o fazer e foi milagre: acho que deve ter sido dos poucos dias em que não saí exausta, em que conseguimos ouvir a música, ouvir-nos e trabalhar de forma organizada... foi fantástico! Não os ouvi gritar, berrar ... e quando fizemos a avaliação do dia, também eles concordaram que o dia tinha sido, assim, muito melhor e disse-lhes o quanto eu estava feliz, calma e tranquila, tal como eles.
 Consoante o grupo, assim a estratégia. As crianças necessitam mesmo que o tempo e o espaço lhes seja organizado e se o não conseguem fazer com autonomia, "necessitam que o adulto conduza, senão são como um carro desgovernado", já o ouvi no seminário internacional Bebé XXI, pelo professor T. Berry Brazelton, em 1990, mais ou menos por estas palavras.



4 Comments:

M. Jesus Sousa (Juca) said...

E como não há "receitas infalíveis" em Educação, o que resulta em cada contexto e em cada altura é a estratégia a adotar!
Não vejo mal nenhum em cada criança ter o seu lugar; na Sala Fixe também temos os nossos lugares para a hora de reunião do grupo; torna-se bem mais fácil gerir o grupo e verificar quem falta, por exemplo. Na hora de atividades e projetos, cada um senta-se onde quer.
Apenas com a diferença de que foram eles que escolheram onde se querem sentar; claro está que, se alguma "vizinhança" não está a resultar, levamos o assunto a discussão e resolve-se!
Espero que agora tudo melhore e haja paz aí entre os galeguinhos!

Bjs, Juca e Sala Fixe

M. Jesus Sousa (Juca) said...

E como não há "receitas infalíveis" em Educação, o que resulta em cada contexto e em cada altura é a estratégia a adotar!
Não vejo mal nenhum em cada criança ter o seu lugar; na Sala Fixe também temos os nossos lugares para a hora de reunião do grupo; torna-se bem mais fácil gerir o grupo e verificar quem falta, por exemplo. Na hora de atividades e projetos, cada um senta-se onde quer.
Apenas com a diferença de que foram eles que escolheram onde se querem sentar; claro está que, se alguma "vizinhança" não está a resultar, levamos o assunto a discussão e resolve-se!
Espero que agora tudo melhore e haja paz aí entre os galeguinhos!

Bjs, Juca e Sala Fixe

Galega Encarnada said...

Eu nunca tinha tido necessidade de marcar os lugares e este ano já tinha marcado os lugares no tapete, pois havia sempre umas "minhocas" a rastejar e não paravam quietos,o que resultou. Nas mesas tive de o fazer, porque os rapazes velhos e as raparigas juntavam-se em bloco em dois grupos e era uma verdadeira confusão, principalmente neste segundo período. Claro que há momentos em que escolhem e se juntam, mas apenas em algumas atividades.
Bjs para ti, amiga.
Leonor

Rute (mãe vda Ver´´onica) said...

Ola Leonor!

Parece-me muito muito bem, a Veronica falou-me nesse belo dia de trabalho. ´´As vezes eles precisam de um "puxão" de orelhas. Como a Leonor descreveu que este ano, os galeguitos estavam "doiditos" precisam então de pouca corda...
Tenha paciência, beijinhos grandes de animação. Percebo que se deva sentir frustrada, por ter que mudar ao fim de tantos anos nestas andanças, as estrat´´egias.

 
Templates Mamanunes