segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Vamos ser "Heróis da Fruta"!


A Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil lançou o projecto «Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável» cujo objetivo é a prevenção da obesidade infantil nas escolas.
Este projeto é a primeira iniciativa de intervenção escolar desta associação e pretende incentivar as crianças até aos 10 anos a consumirem mais fruta diariamente, invertendo assim a estatística nacional deste consumo que é de apenas 2%. Para saber mais deste projecto, por favor, clique em cima na imagem.

A nossa turma já está inscrita e já recebeu a confirmação.

Ao longo destes últimos anos, a Leonor recorda que se verifica já uma grande mudança a nível dos lanches, pois já nem se lembra da última vez que viu Bolicaos, doces de pastelaria em dias seguidos e a mesma criança, croissants com manteiga, mais queijo e mais fiambre ... enfim, coisas que engordam muito e nem por isso nos fornecem o que o nosso corpo necessita. A ideia de trazer uma peça de fruta e partilhá-la entre todos, tem dado muito resultado, mas hoje a Leonor explicou-nos que o objectivo é cada um de nós comer uma peça inteira, ou no mínimo metade, pois muitos de nós ainda só comem um pedacinho e que foi com esse objectivo que inscreveu a nossa turma neste projeto.
Esperamos corresponder ao desafio lançado e necessitamos da colaboração dos pais para que isso aconteça e, assim, devem enviar diariamente uma peça de fruta para o lanche, pois o leite escolar e a bolacha Maria já temos na nossa sala.
Obrigada.





sábado, 29 de outubro de 2011

Ossitos

Esta é uma ilustração de Raquel Aparicio  (retirada de um blogue italiano) e que está exposta na nossa sala desde segunda-feira. Hoje foi o dia em que nos reunimos para falar dela. Foi uma conversa muito interessante e de gente já muito crescida!

- O que é que vemos???? ora  ... é um esqueleto ... ossos ... com flores ... ossos e flores? ... 

A Leonor explicou-nos que todos temos ossos, que formam o esqueleto, e que os ossos estão cobertos com carne, que temos sangue que corre nas nossas veias, que o nosso coração bate para o sangue poder circular, mas que às vezes o coração pára de bater. Pode parar de bater por se estar muito velhinho já, ou por doença, ou por acidente ... que neste preciso momento muitas pessoas morrem, mas também, no oposto,  muitas nascem. Contou que dia 1 de Novembro, próxima terça-feira, é um feriado e que nesse dia as pessoas lembram ainda mais das pessoas queridas, familiares e amigos, que já morreram, isto é, o coração delas deixou de bater.


- Quando isso acontece, as pessoas vão para onde?
- Para os cemitérios ...
- E com o tempo misturam-se com a Mãe Terra e, por isso, "Na Natureza nada se perde e tudo se transforma". A morte é tão natural como a vida e, na Terra, tudo nasce e tudo morre... Vamos imaginar uma história para este esqueleto?


E a história colectiva saiu assim:

Era uma vez ... um esqueleto com flores à volta. Este esqueleto veio de outro planeta e chamava-se Rafala (que é uma mistura de Rafael +Lara).
Um dia o Rafala estava a jogar futebol, levou com uma bolada na barriga e ... desmanchou-se todo no chão!
Estava a Melri (que é uma mistura de Mel+Rita) a assistir ao jogo na bancada e assim que viu o Rafala caído no chão ... correu para ele e juntou todos os ossinhos. 
O Rafala e a Melri apaixonaram-se um pelo outro, o Rafala deu-lhe flores e casaram-se para sempre.
Passados alguns meses nasceram os Rafalazinhos e as Melrinhas.


- Que nome podemos dar a esta ilustração?

 Por unanimidade foi o nome sugerido pelo Manuel: OSSITOS!

Livro lido, vira novo! O Eco-livro

Ontem fomos à biblioteca ouvir a Ana contar-nos a história "Por acaso és uma bruxa?" no quadro interactivo (qualquer dia vamos usá-lo para outras coisas...), mas ela antes apresentou-nos a nova actividade da biblioteca: o Eco-livro. É assim: ela tem lá uma mala que era dela quando ela era pequenina e que agora guarda os livros que os meninos já não precisam e querem trocar. Têm de estar em muito bom estado, como novos! A Ana põe-lhes um selo próprio, diferente da cota, pois este é um livro que vai para casa e fica lá, não é requisitado. É troca por troca!


E hoje voltámos lá, porque o Tomé ontem "ficou de olho" num livro que lá estava e hoje trouxe um livro dele para a escola, para trocar. Estava só um bocadinho a "precisar de hospital", mas a Ana também é uma óptima médica! Também levámos um livro que andava na nossa sala sem dono e demos para pôr na mala do Eco-livro. 
Agora os meninos compreenderam muito melhor o que é o Eco-livro, pois temos de poupar e assim é uma maneira de termos acesso a outros livros e sem os pais gastarem dinheiro. Foi uma brilhante ideia das Bibliotecas, foi ou não foi?
Também lá há livros para adultos e a Ana está na biblioteca às terças-feiras, das 17:00 às 18:00 para receber também os pais, mas é melhor confirmarem o dia e a hora ...  :)

Hoje tivemos 2 surpresas!



Foi a nossa querida Margarida Dias que nos veio visitar e um fantástico cupcake, que a mãe do nosso Lourenço (do ano passado) faz e que ofereceu à Leonor logo pela manhãzinha. Não é que tinha uma caveirazinha? Calhou bem, porque a nossa imagem da semana também é um esqueleto...
A Margarida conheceu os meninos e meninas novas deste ano e depois fomos à sala 1 visitar os amigos que transitaram para o 1º ano. Estávamos todos tão felizes! A Margarida ainda nos disse que a escola onde ela agora anda , a do Milharado, é parecida com a nossa, mas maior. Tem muitos amigos, mas há duas amigas dela (a Leonor esqueceu o nome ... desculpem) especiais.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Para que vão servir as garrafas???


Também já começámos a utilizar as garrafas da água e dos sumos. Para que irão servir?

Quantas meninas? Quantos meninos?

Hoje reunimos no tapete, porque ontem a Leonor ia contar-nos a história da Nina e da chupeta e já não deu tempo. Mas antes, surgiu uma pergunta durante a nossa conversa da manhã:  somos 24 no total, mas quantos meninos e quantas meninas?
Utilizámos as placas com o nome para fazermos os conjuntos e como são rectangulares até ficou logo como costuma ficar nos gráficos, mas temos um dia destes de o passar para o papel. Somos 12 meninos e 12 meninas. Para voltarmos a pôr as placas no Quadro das Presenças, a Leonor fez um jogo: dava as características físicas ou outras e nós tínhamos de adivinhar qual de nós era. Depois tínhamos de identificar o nosso número, para o colocar, finalmente, no Quadro.
Depois ouvimos a história, "A chupeta de Nina", que era muito gira.Quem escreveu a história foi Chistine Naumann-Villemim, que conta a história da Nina, uma menina que sabia bem o que queria e, como gostava muito da chupeta, não a queria largar por nada. Mas um dia, encontra alguém que precisa mais dela do que ela...





A nossa original cortina

Começámos a fazê-la na terça-feira passada e acabámos hoje, quando a D. Júlia, auxiliar na nossa escola e que todos os dias nos traz o leite à sala, fez a gentileza de cozer a bainha em casa à máquina, para ficar melhor, e a trouxe hoje.
Tínhamos um problema que já se arrastava há muitos anos: o muro em frente à nossa grande janela encandeia-nos quando está muito sol. Em anos anteriores, os alunos pintaram os vidros, fizeram desenhos com papel autocolante e este ano resolvemos pintar uma cortina. A Sónia, auxiliar, trouxe um lençol que ela já não precisava, desenhámos as palavras das coisas principais que fazemos na escola, a D. Júlia, cozeu a bainha e hoje pintámos com lápis de pastel, porque para o ano, a Leonor lava a cortina e os novos alunos fazem um novo desenho. Assim tem uma cortina nova todos os anos.

Formas geométricas e movimento

Na sexta-feira passado planeámos que esta semana iríamos falar das figuras geométricas e começámos mesmo a falar delas no ginásio: do círculo, triângulo, quadrado e rectângulo.  Verificámos que estamos rodeados de figuras geométricas e que também as podíamos fazer utilizando o nosso corpo e alguns dos utensílios do ginásio.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A história dos "Sons da sopa" contada pelos Galegos

Era uma vez uma colher, uma sopa e uma tigela. O pimento andava triste porque estava sozinho e não tinha amigos. A colher falou com o pimento e disse-lhe:
- Não te preocupes, porque não vais ser o único na panela da sopa. Eu vou chamar os teus amigos.
Então a colher foi chamar:
- Cenoura, nabo, alho francês, água, courgete, abóbora, feijão maduro, feijão verde, salsa, coentros, alface, batata, dentes de alho, sal e azeite.
A colher levou estes amigos todos para uma panela e fez uma rica sopinha!!






E agora a Mel está a procurar nas imagens da Internet, os legumes para fazermos esta história com imagens. Ela já aprendeu a procurar as imagens e a guardá-las num ficheiro, que está no ambiente de trabalho. A Leonor está muito contente com ela.

"Os sons da sopa" - Mónica

Na segunda-feira fomos à Casa do Folhas e a Mónica, da Associação de Pais e que também é mãe da Margarida Mira, tinha lá uma surpresa para nós: uma mesa com legumes, uma panela, uma colher e uma tigela. A história foi muito gira e no dia a seguir, nós recontámos a história, à nossa maneira.
Mas agora, vamos ver os vídeos:





domingo, 23 de outubro de 2011

Ainda a Roda dos Alimentos

Fiz isto há ... talvez dois anos na pós-graduação em Bibliotecas Escolares e Literacias do Sec XXI, na Lusófona.

Pode ser que os pais queiram fazer a tarefa e dar-me um retorno da mesma ...  :)


Ensinarás ...

Ensinarás a voar…
Mas não voarão o teu voo.
Ensinarás a sonhar…
Mas não sonharão o teu sonho.
Ensinarás a viver…
Mas não viverão a tua vida.
Ensinarás a cantar…
Mas não cantarão a tua canção.
Ensinarás a pensar…
Mas não pensarão como tu.
Porém, saberás que cada vez que voem, sonhem, vivam, cantem e pensem…
Estará a semente do caminho ensinado e aprendido!

(Madre Teresa de Calcutá, Facebook, através de Maria do Rosário Moita Macedo, do blogue Continuo buscando)

"Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior acto de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo correctamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo."
José Saramago (Li no Facebook)


Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Pode
is outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.

  Gibran Khalil Gibran (li no Facebook )
 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O piquenique do Outono

Como é sexta-feira e depois de fazermos a avaliação da semana e o que queremos fazer para a semana, resolvemos ir lanchar ao campo.




O que gostámos mais:

- Mudar a sala.
- Gostámos de aprender a registar o comportamento.
- Gostámos de cá ter os pais.
- Gostámos de fazer o painel dos cabides.
- Roda dos alimentos e de saber coisas sobre os alimentos.
- Mudámos os jogos.
- Arrumámos os trabalhos nas capas e aprendemos a utilizar as gavetas individuais.
- Ajudar a pôr as notícias no blogue

O que gostámos menos:

- Portámo-nos mal no refeitório
- Falar ainda muito alto na sala.

Para a semana queremos fazer:

- Pintura
- Cortina para a janela, por causa do sol que nos encandeia.
- Terminar a Roda dos Alimentos.
- Falar das figuras geométricas.
- Tratar dos canteiros.

Os sacos para transportar o livro requisitado

Hoje estivemos a falar sobre os sacos que vão para casa e o que lá devíamos escrever. Lembramos que estes sacos foram feitos em parceria com a Ana, da Casa do Folhas (biblioteca), que teve o trabalho de fazer o Folhas em stencil, para outras salas utilizarem se quiserem também. Mas faltava uma frase e, em relação a isso, as opiniões foram as seguintes:
- Ler é importante (Manuel).
- Ler faz bem (Rita).
- Ler é para aprender (Manuel)
- Saber ler é saber aprender (?)
- Ler faz bem à saúde (Mel)
- Ler é crescer (?)
- Ler é sonhar (?)

Então decidimos pôr várias palavras:

Amigo, livro, ler, saber, conhecer, crescer, sonhar, viajar, imaginar, saúde.

Ficou assim, mas ainda não está acabado ...

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Uma criança sem regras é como um carro desgovernado



Já muitos estudos o concluíram, já muitos autores o escreveram e escrevem, já muitos pediatras o dizem: uma criança precisa de regras,  "uma criança sem regras é como um carro desgovernado." A frase não é minha, li-a ou ouvia-a algures a alguém e concordo em absoluto com o autor, quem quer que ele, ou ela, tenha sido.

Esta tem sido uma semana particularmente dedicada aos comportamentos, ou aos maus comportamentos,  em determinados contextos, nomeadamente à hora da refeição.
Todos os dias pergunto como decorreu o almoço e a resposta geral é. "Correu bem". E quando pergunto especificamente acerca de uma ou outra criança, "correu bem", é o que ouço. Andei iludida, até que há dois dias atrás, através de adultos que lá estão, me disseram horrores da Sala Encarnada. Como é lógico, e como qualquer pai que não gosta de ouvir dizer mal do seu filho, eu não gosto que os meus alunos se portem mal, quando eu não estou e "o sermão e a missa cantada não se fez esperar": 

- comer sentado (sem se levantarem, sem arrastarem a cadeira); 
- usar o copo apenas para beber água (não brincar nem bater com ele na mesa);
- usar os talheres para comer (não bater com os talheres na mesa ou brincar com eles no ar);
- comer a comida (não atirar a comida pelos ares, não usar as ervilhas ou a fruta como se fossem bolas atiradas ao ar, não deitar comida para baixo da mesa, não atirar comida aos outros, etc, etc.),
- falar baixo (não falar aos gritos).

Questiono-me onde fazem eles estas coisas ( o que alguns deles fazem, está entre parêntesis, claro),  que repetem aqui, e estes bons hábitos podem, devem vir e devem ser continuados em casa. Lembro aos pais que na escola existe uma auxiliar para 3 mesas, não uma auxiliar para cada criança, cada mesa tem 8 crianças e as crianças devem vir de casa já com a conversa e os conselhos do que devem fazer à mesa:  estar sentado, falar baixo, não brincar com a comida nem a atirar para o ar ou para o chão, utilizar os talheres apenas e exclusivamente para comer, comer sozinho
Vão-me perdoar os que se sentirem ofendidos e não se revêm no que digo, mas a escola não fará milagres, se os bons hábitos não vierem de casa.
Infelizmente muito se tem escrito sobre disciplina e existe a tendência crescente para se culpabilizar a escola de todos os males, de todos os fracassos. A escola é parceira educativa da família e com ela participa na educação das crianças e jovens, mas a educação primeira começa em casa, pois são os pais os primeiros e absolutos educadores e responsáveis dos seus filhos.

Criei quadros de comportamento e folhas individuais em que cada um, em voz alta, se avalia perante o grupo e regista a auto-avaliação que faz do seu comportamento do  dia. Esta ficha está ser preenchida diariamente, por volta das 15:00, quando se faz a avaliação do dia. Só o tempo dirá se é uma boa estratégia, mas solicito a compreensão e colaboração dos pais na aquisição de bons comportamentos dos seus filhos, nomeadamente no que diz respeito à mesa, na hora das refeições.

Obrigada.

Roda dos Alimentos

Já muito falámos dos alimentos e da Roda dos Alimentos e ontem construímos uma maior para ficar exposta na sala,  a partir de uma que a Rita trouxe de casa, quando pesquisou na Internet com a mãe. Mostramos como foi que fizemos, já está exposta numa parede da sala, mas falta concluí-la. 

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Como o nosso cabide ficou bonito ...

Já há algum tempo atrás decidimos como fazer para tornar mais bonito o nosso cabide e hoje fizemos! Ficou mesmo, mesmo lindo! Tem palavras, divididas por sílabas, dos objectos que penduramos no cabide.



Quem auxiliou a fazer a notícia foi a Mel e a Rita.

"O meu pai veio à minha escola ajudar-me a fazer ...."

Hoje foi a vez do Emídio, o pai do Rafael, vir cá ajudar o filho a fazer o boneco das preocupações. Pensamos que terminamos mesmo hoje! 
O Rafael está a dizer que o pai teve muito jeito e que gostou muito de ter cá o pai.

Quem ajudou a pôr aqui esta noticia foi o Rafael.



O que nos diz esta imagem?

Numa semana que falamos de alimentação e boa alimentação, esta foi a imagem para "ler" na sala. Vamos passar a ter uma imagem diferente por semana, que é também uma outra forma de "leitura".
Hoje a análise sobre esta imagem e o desafio lançado era para cada um dizer o que pensava quando olhava para a fotografia.

Francisco - Está a vomitar.
Manuel - Está a apanhar lixo.
Rita - É pobre.
Mel - Tem falta de comida.
Diogo Lopes - O menino está a comer restos do chão.
Guilherme Gomes - Está a apanhar lixo e a comer.
 Miguel - Está a comer e depois está a vomitar um lixo de cocó.
Tomé - Ele está triste e acho que está com fome.
André - Acho que está a comer pão do chão.
Matilde - Está a comer pão do chão e não está contente.
Filipe - Parece que está a comer comida que é pão e que estava no lixo.
Mónica - Está triste porque ele queria comer lá em casa.

O QUE É QUE PODE TER ACONTECIDO A ESTE MENINO?

Manuel - Os pais morreram.
Tomé - A terra está em guerra.

SE DÉSSEMOS UM NOME A ESTA FOTOGRAFIA, QUE TÍTULO LHE DÁVAMOS?

- Fome
- Com fome
- Triste
- Esfomeado

Por acordo de todos ficou "Esfomeado" e a mim, pareceu-me acertado. Quando não quisermos comer ou estragar comida, devemos pensar que muitas pessoas têm fome e morrem de fome.

Para além da nossa realidade, existem muitas outras ...
Parece-me que foi uma boa "leitura".


(Esta notícia teve o auxílio da Mel)

domingo, 16 de outubro de 2011

Dia Mundial da Alimentação

Porque hoje é o Dia Mundial da Alimentação, recomenda-se aos adultos, entre as muitas possíveis, as seguintes leituras:




- Sal


Contudo, não podemos esquecer o oposto da boa e saudável alimentação, nem esquecer a que por vezes muito se estraga, não podemos esquecer que muitos têm fome e que a fome mata. E as crianças devem ter conhecimento disso e o mais precocemente possível.




sábado, 15 de outubro de 2011

O que de bom fazemos, e temos de fazer, na nossa sala

Esta semana foi importante traduzirmos "tudo aquilo que de bom se faz na nossa sala" assim:



Começamos por pensar em cartolina vermelha, num círculo, bem grande e com tudo aquilo que não podemos fazer, mas depois a Leonor disse que o vermelho até lhe feria os olhos e era melhor uma cor mais suave, talvez o verde,  como nos comportamentos verdes ( "as coisas boas que fazemos") e escrevermos lá dentro o que fazemos de bom na sala.



Cada frase é de uma cor e pelo menos os mais velhos identificam-na bem. Querem dizer o seguinte:
  
FALAR BAIXO - é mesmo "falar baixo", porque falar muito alto faz mal às cordas vocais.
ARRUMAR - é arrumar mesmo tudo: os jogos, o material que usamos, as cadeiras, a mochila, o lixo que fazemos, a roupa, o boné, a sala.
ANDAR COM CALMA - é andar devagar, "com calma".
FAZER ACTIVIDADES - fazer jogos de mesa, jogos de roda, jogos no tapete, fazer desenho, pintura, plasticina, recorte, colagem, rasgagem, brincar no Cantinho dos Carros, usar o computador, ir para o Cantinho das bonecas ...
SER AMIGO - partilhar as coisas, ajudar, dar beijos, dar abraços, dar colo ...

Utilizámos a técnica do lápis de cera: desenhámos as letras com lápis de cera, depois pintar com tinta muito líquida verde e vimos o que acontece: pois é ... a cera "repele" a água" e não tapou as letras.

Das muitas coisas que temos tentado, quando há demasiado ruído e agitação na sala, apesar do quadro das actividades, que já divide os meninos e meninas de uma forma equilibrada e organizada, parece que o que dá mais resultado é pararmos todos por 2 minutos e ficarmos  como no jogo das estátuas: por 2 minutos, mais ou menos, não falamos e paramos a actividade que estamos a fazer, para que possamos "voltar à calma e deixar os neurónios descansar um pouco", como diz a Leonor. 
Parece ser o mais equilibrado, porque as sugestões do grupo quanto ao "Se fossem a Leonor, quando os vossos alunos se portassem mal na sala e uns com os outros, o que é que faziam? " foram simplesmente terríveis.Colocar as crianças na situação "se tu fosses eu, o que é que fazias", apesar de ser difícil para crianças muito pequenas, é útil na medida em que aprendem a projetar-se no outro e nos sentimentos do outro, auxiliando a criar sentimentos de empatia.

Outros momentos da semana

Ainda os bonecos das preocupações

Esta semana tivemos lá mais duas mães para ajudarem a fazer os bonecos das preocupações. Na terça-feira tivemos lá a mãe do André, a Sandra, e o irmão Vincente e na quinta-feira tivemos lá a mãe da Verónica, a Rute, e a irmã Bárbara. Os irmãos deles são ambos bebés, mas o irmão do André, o Vincente,  é mais velho, porque já gatinha e come bolacha e a irmã da Verónica, a Bárbara, é mais nova, porque ainda não gatinha e ainda mama leite da mãe. 

Fruta para conjuntos, fruta para jogo, fruta para salada ...

Amanhã, domingo, dia 16, comemora-se o Dia Mundial da Alimentação e sendo a obesidade um problema sério que enfrentamos, apesar das discrepâncias e a fome que assola outros países, mas também para esses vão sempre as nossas observações em contexto de sala de aula, não deixámos de "deitar mão" aos alimentos que todos os dias utilizamos na sala: a fruta. Começámos por a dividir em conjuntos, contar o número de elementos de cada conjunto e ver qual era o conjunto maior e menor. De seguida fizemos algumas atividades e antes do lanche fizemos um jogo: pelo sentido do olfacto - o cheiro - e pelo sentido do paladar - a língua, que tem as papilas gustativas - identificámos 4 frutos: maçã, pera, banana, laranja e dióspiro. O dióspiro foi para pregar uma partida ao Manuel, que assim que viu o fruto disse:
- "Nem penses que eu vá comer isso ..."  , todo enojado ...
E quando de olhos fechados lhe pus um pequeno pedaço, não é que gostou??? quando disse o que era ... começou logo a franzir o nariz ...

Com alguma surpresa, alguns meninos não associam o nome ao fruto.

As fotos da salada já pertencem a um outro dia, em que as 4 salas comeram salada de fruta ao lanche.


Contrato de leitor

 Na quinta-feira fomos à Casa do Folhas fazer "O contrato de leitor" com a Ana e em que nos comprometemos a tratar muito bem o livro que requisitarmos para levar para casa e já requisitámos livros! Na sexta-feira já os levámos para casa, nos nossos sacos novos e que a Ana nos ajudou a começar. Ainda não estão acabados, mas como estão já os identificamos bem.

Quadros de organização

Logo na segunda-feira começamos por saber e relembrar como se utilizam os 3 quadros que temos na sala para nos ajudarem a organizar: 
- o quadro das Presenças, que está ordenado de 1 a 24, do mais velho para o  mais novo, como na lista ordenada, e cuja placa com o nosso nome se destaca (tem velcro) para utilizarmos quando escrevemos o nosso nome;
- o quadro das Actividades, para marcarmos a actividade que decidimos (e como às vezes é difícil!) fazer , quando não temos actividades de grupo;
- e o  quadro das Rotinas Diárias, que se alguém se lembrar de mudar a seta, indica em que momento de actividade estamos.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Aos nossos seguidores, uma explicação

Peço desculpa aos nossos seguidores, mas não dispus de tempo livre durante a semana e talvez também não disponha de tempo neste fim de semana, para colocar as atividades. Todo o meu tempo se canalizará para um trabalho que tenho de fazer, para apresentar segunda-feira na faculdade. 
Apesar disso, farei um esforço para o atualizar o quanto antes.

Fica o meu pedido de desculpa.

domingo, 9 de outubro de 2011

Pedaços de Outono...

Esta semana ainda andámos a fazer Quadros do Outono. Com as coisas que apanhámos naquela nossa saída ao campo, com caixas de esferovite do supermercado, fizemos quadros. Para isso, cada um dispôs o que queria colar como queria, mas procurando que ficasse bonito "esteticamente". Claro que houve umas variações à proposta, o que é saudável e criativo. Ainda falta a muitos de nós experimentar, porque não temos mais esferovite. A Leonor bem nos disse para darmos o recado aos pais, mas esquecemo-nos ...
E já agora, quem tiver pode trazer para a escola? Também vamos precisar de folhetos de propaganda dos supermercados (o Dia da Alimentação é dia 16 deste mês) e de garrafas de litro plásticas, de qualquer cor. 
Obrigado.

O novo quadro que nos auxilia: que reflexos tem o nosso comportamento nos outros?

Temos um novo quadro na sala que nos "obriga" a refletir sobre o nosso comportamento e as suas consequências. Vi aqui na Internet, no blogue de uma colega, mas ela que me perdoe, pois retive a ideia, mas não retive o blogue e já não sei "a morada da ideia" ... é muito triste não me lembrar ...
Bom, mas o quadro é como um semáforo de trânsito e todos sabemos o que significa "o vermelho", "o amarelo" e "o verde". Calhou na sexta-feira, a propósito de mais uma triste mordidela, falarmos do nosso comportamento e dos outros, e, assim, aproveitámos para  colocarmos o nome de um lado da mola e do outro pintámos ao nosso gosto. O lado da mola com o nome ficará sempre virada para baixo - assim, quem é "exterior" à sala não sabe quem se portou mal, bem ou assim-assim - e o lado do desenho é que fica para cima. Assim, só "quem vive na sala" fica a saber quem se portou mal ou menos bem e bem. A ideia é que quem se portou mal, para a próxima, numa situação semelhante ou não, repense e evite o comportamento que fez magoar os outros. E, quando fomos colocar as nossas molas, foi muito giro e surpreendente para a Leonor verificar que quem se portou mal, pôs logo no vermelho e quem se portou menos bem, pôs no amarelo. Como a Leonor nem sabia porque estavam a pôr no amarelo, eles justificaram:" Foi no almoço ..."
Ficou assim:





O quadro dos Padrinhos, Madrinhas, Afilhados e Afilhadas

A ideia "fui buscá-la" o ano passado à minha amiga blogueira Juca e, pelos ótimos resultados, repetimos este ano.  Ora aqui está ele:




Bonecos para as nossas preocupações

Ao longo da semana, algumas mães foram à nossa sala e partilharam o momento da planificação do dia connosco e, seguidamente auxiliaram os filhos e as filhas a concretizarem o seu boneco. Também auxiliaram outros meninos, cujas mães sabíamos que não podiam ir.


O que é que será que as mães sentiram nestes momentos de partilha?


quinta-feira, 6 de outubro de 2011

O que é que se faz, ou fez, durante a semana ...

... com uma caixa da costura, que "herdei" de uma educadora muito prendada, colas, tesoura e outros materiais?





 Pois  só vão saber amanhã ...   :)

domingo, 2 de outubro de 2011

Avaliação conjunta da semana - o que dizem as crianças

Porque avaliar é importante, avaliámos o que fizemos durante esta semana de uma forma muito simples, mas exigindo que cada um, ou os que o conseguiram fazer, pois temos crianças muito pequenas, refletisse sobre o que fez e o que mais gostou e menos gostou. Tivemos de recontar, recorrendo à memória e sem irmos ver ao blogue, o que andámos a fazer e depois colocar numa folha dividida ao meio, de um lado um simples "+", como nas contas de somar, e um "-", como nas contas de subtrair. O que foi dito, foi o seguinte:

O que mais gostei foi ...
...  ir ao ginásio (Manuel, Mel, Mónica, Miguel, Rebeca, Guilherme Gomes, Rafael)
...  ir recolher as bolotas e as outras coisas (Rita)
...  gostei da "Bruxa Arreganhadentes" (Diogo Lopes, Guilherme Semedo)
... brincar e ir ao campo (Maria Ana)
... ir ao campo (Mónica)
... jogar (Tiago, André)
... de ir apanhar seres não vivos (Tomé - é uma criança do ano passado, 5 anos feitos esta semana e empregou um conceito que foi várias vezes abordado o ano passado, mas não este ano)
... do cavalinho (Diogo Lopes e o "cavalinho é material do ginásio e que já usávamos o ano passado)

O que não gostei foi ...
... não gostei de não ir ao ginásio, porque fui ao médico (Tomé)
... não gostei de desenhar (Manuel)
... não gostei de alguns meninos chorarem e da Maria morder (imperdoavelmente não sei quem disse, porque não anotei o nome)


E houve uma resposta gira à pergunta "O que é que mais gostaste, Francisco?"
-  "Gostava de ir para casa ..."
 De notar que esta foi a segunda semana de aulas e este menino entrou pela primeira vez.


E pronto! Avaliação feita e bem feita.

 
Templates Mamanunes