sábado, 29 de outubro de 2011

Ossitos

Esta é uma ilustração de Raquel Aparicio  (retirada de um blogue italiano) e que está exposta na nossa sala desde segunda-feira. Hoje foi o dia em que nos reunimos para falar dela. Foi uma conversa muito interessante e de gente já muito crescida!

- O que é que vemos???? ora  ... é um esqueleto ... ossos ... com flores ... ossos e flores? ... 

A Leonor explicou-nos que todos temos ossos, que formam o esqueleto, e que os ossos estão cobertos com carne, que temos sangue que corre nas nossas veias, que o nosso coração bate para o sangue poder circular, mas que às vezes o coração pára de bater. Pode parar de bater por se estar muito velhinho já, ou por doença, ou por acidente ... que neste preciso momento muitas pessoas morrem, mas também, no oposto,  muitas nascem. Contou que dia 1 de Novembro, próxima terça-feira, é um feriado e que nesse dia as pessoas lembram ainda mais das pessoas queridas, familiares e amigos, que já morreram, isto é, o coração delas deixou de bater.


- Quando isso acontece, as pessoas vão para onde?
- Para os cemitérios ...
- E com o tempo misturam-se com a Mãe Terra e, por isso, "Na Natureza nada se perde e tudo se transforma". A morte é tão natural como a vida e, na Terra, tudo nasce e tudo morre... Vamos imaginar uma história para este esqueleto?


E a história colectiva saiu assim:

Era uma vez ... um esqueleto com flores à volta. Este esqueleto veio de outro planeta e chamava-se Rafala (que é uma mistura de Rafael +Lara).
Um dia o Rafala estava a jogar futebol, levou com uma bolada na barriga e ... desmanchou-se todo no chão!
Estava a Melri (que é uma mistura de Mel+Rita) a assistir ao jogo na bancada e assim que viu o Rafala caído no chão ... correu para ele e juntou todos os ossinhos. 
O Rafala e a Melri apaixonaram-se um pelo outro, o Rafala deu-lhe flores e casaram-se para sempre.
Passados alguns meses nasceram os Rafalazinhos e as Melrinhas.


- Que nome podemos dar a esta ilustração?

 Por unanimidade foi o nome sugerido pelo Manuel: OSSITOS!

9 Comments:

voo do tapete said...

Sem comentários!

"Das coisas simples".

Do escolher conversar, de forma simples, de tudo o que faz parte da vida e da condição humana.

Do dar a palavra, simplesmente perguntar, propor e ouvir!

Adorei esta conversa dos ossitos!

Comoveu-me.

Beijos
Ana

Galega Encarnada said...

Obrigada, amiga Ana. Para mim é sempre um prazer falar com os Galegos e falar das coisas simples com simplicidade ...

M. Jesus Sousa (Juca) said...

Estou a gostar muito de acompanhar esta atividade das imagens... um dia destes experimento com os fixzes...

Anónimo said...

Ola meus queridinhos!Nao,nao vos esqueci,simplesmente o tempo as vezes e curto,e por mais que queira nao consigo passar por aqui.
Mas parece que hoje,tive uns segundinhos.
Em 1`lugar,fico feliz,por saber que o vosso trabalho continua a ser fantastico.Em 2`,digo-vos,que fui aceite como dadora de sangue,desde o vosso convite,ja dei mais uma vez.E maravilhoso saber que estamos a contribuir para quem mais precisa.
E por ultimo,sobre este tema,dos"OSSITOS",para mim nao e facil entender,que pessoas que eu amo,ficarao assim...Mas e a vida.
Temos que encarar com naturalidade!
Encarnaditos,desejo-vos tudo e nada.TUDO,que vos faça felizes e NADA que vos faça sofrer!
MUITAS BEIJOKINHAS,mae Isabel.

Laura said...

Manuel contou logo a histório do ossitos, claro que eu não sabia de onde vinha aquela conversa, agora já sei ;)

Bjs

Galega Encarnada said...

Obrigada a todas, pois vejo assim a utilidade do blogue ... :)

Cidalia Valverde said...

Não sei o que dizer mais, pois é tudo tão fantástico, só me resta agradecer todo este trabalho, e o empenho que os professores e colaboradores têm para com os nossos meninos, nem todas as escolas têm esta sorte.

Obrigada a Todos, bjs Cidalia

Galega Encarnada said...

Mãe Isabel - fiquei feliz por saber que a nossa atividade "Vamos dar sangue" teve reflexos tão positivos.

Laura - o blogue é bom e informa e eu fico feliz por isso também.

Cidália - obrigada pelas suas palavras também. Faço o melhor que sei, refletindo todos os dias sobre o que faço, estudando ...

bjs

Nélia Miguel Matias said...

A vida é feita de chegadas e partidas e tem que haver abertura e naturalidade para se falar em todas elas.
Aqui em casa os três anos do Miguel não trouxeram a hisória dos Ossitos mas iremos certamente discuti-la em família porque nesse dia recordamos sempre os que já não estão connosco.

Leonor, obrigada pelo livro "à espera do irmãozinho" que nos enviou.

Nélia e Sérgio (Pais do Miguel)

 
Templates Mamanunes