segunda-feira, 18 de julho de 2011

A avaliação dos pais sobre o trabalho desenvolvido em 2010-2011

Apesar de termos de fazer também as avaliações dos alunos e das nossas funções, tal como todos os docentes, a diferença é que, por calendário escolar definido pelo Ministério da Educação, os educadores terminam aulas com crianças num dia e no dia seguinte, e os seguintes que se seguem ao "dia seguinte", estamos em reuniões de avaliação.
Após as aulas não há muito tempo para, com algum distanciamento, reflectir e menos ainda para reflectir em conjunto. E é por isso, que após a entrega da avaliação do meu Projecto Curricular de Turma, do meu desempenho global no que diz respeito ao meu trabalho de sala, ao meu trabalho no estabelecimento, ao meu trabalho com a Componente de Apoio à Família, ao meu trabalho com a Biblioteca, ao meu trabalho com os pais e ainda a realização do meu Relatório de Auto- avaliação (Avaliação do Desempenho Docente), não me restou tempo para fazer a análise das avaliações feita pelos pais sobre o trabalho desenvolvido, as quais até se tornavam muito úteis para utilizar nas diversas avaliações parcelares do meu desempenho, descritas anteriormente.
Foi feito dois tipos de avaliação: uma oral e a aplicação de um questionário anónimo.  A solicitação que fiz oralmente aos pais foi que falassem sobre o desenvolvimento do filho/a de uma forma global, as coisas boas e as coisas menos boas, para que eu pudesse avaliar, principalmente as coisas menos boas, para poder alterar a minha prática. Não foram todos que o fizeram, pois o tempo para alguns foi escasso, apesar de ter estado no mínimo 30m com cada.
Para confirmar se o que me diziam oralmente correspondia ao que anonimamente poderiam dizer, pedi-lhes que no final levassem um questionário, que era anónimo, e que o entregassem à saída, à auxiliar da portaria. A intenção era confrontar a avaliação oral e a escrita, que era anónima, e ver se havia correspondência ou disparidade. O relatório do questionário ainda não o terminei, mas apresentá-lo-ei, quando o terminar.

Seguidamente transcrevo as avaliações orais, que no final li e assinaram.

Mãe do GG.
“Adoro o blogue. Ele vai ao blogue lá em casa e nós sentimo-nos como se estivéssemos cá. Foram 3 anos muito bons de noções básicas … uma vez estava a dar-lhe banho e ele disse-me: “Mãe, não me lavaste as axilas …” e até o meu marido depois brincava com isso. E uma vez sugeriu à avó que bebesse leite magro, porque era o que a Leonor bebia e disse que não tinha gordura. No blogue também foi ver o senhor das cabras que tinha morrido e falou da morte naturalmente… Foram 3 anos muito bons …”

Mãe do M. e T.
“Desde que falei consigo, aprendeu a respeitar o tempo do M. e ele mudou radicalmente, passando a vir muito mais entusiasmado para a escola (no inicio do ano ele fazia intervenções “ao lado” do tema, desestabilizando o grupo, o que eu fortemente recriminava, aspecto que melhorou com o tempo …). Quando ele transitar agora para o 1º ciclo, o choque vai ser menor do que a irmã, sinto-o mais preparado para ir para o 1º ciclo, comparativamente. Ele gostou imenso da digitinta e vamos passar a fazer lá em casa .
O T. … ele fez uma óptima adaptação ao Jardim de Infância, excelentes aprendizagens. Adorei o blogue… era tema de conversa lá em casa, dá tranquilidade aos pais, é funcional, percebe-se o que eles fazem…”


Mãe da M.

“Ela melhorou o tempo de concentração. Mudou completamente, o que foi muito positivo. Fez as aprendizagens necessárias e muito positivas.”


Mãe do D.

“Conta sempre os números, canta, mexe e faz coisas no computador que eu não faço …anda sempre a escrever, deixou a chucha, o que foi muito bom, e a fralda de noite… Acho que vai ser bom ficar mais um ano, porque tem a melhor educadora, que sabe, que é boa para educar, para manter as regras e que sabe …”


Mãe do R.

“Desenvolveu a todos os níveis … as letras e o raciocínio matemático, o que ele aprendeu foi cá.”


Mãe da M. M.

“Todas as solicitações que lhe fiz, como os medos, notou-se que foram trabalhados na sala e foram ultrapassados. Houve uma outra coisa que lhe falei e melhorou, mas … já não me lembro o que foi… e agora na fase da mana, vi que também foi trabalhado, ela falava-me dos livros e dos filmes que tinha visto sobre os bebés, e isso ajudou-me em casa. O blogue é muito útil, porque ela dizia sempre que só brincava e eu ia ver ao blogue e via que tinham feito coisas muito giras e depois conversava sobre isso com ela.”


Mãe da M. D.

“Considero que foram 3 anos sensacionais, excelentes … nada a apontar...”


Mãe da B. e da M.

Quanto à B. e à M. foi um desenvolvimento global muito bom, estou muito satisfeita com tudo. Nunca fizeram queixa alguma de nada e quiseram sempre vir. Fizeram grandes aprendizagens.”


Mãe da M.

“Notam-se já as formas dos desenhos … desenvolveu a todos os níveis.”


Mãe do G.

“Estou muito satisfeita com a adaptação do G. Acho que ele progrediu mais do que o E. no primeiro ano dele.


Mãe do E.

“Ao longo dos 3 anos foi muito positivo e neste último ano ele progrediu imenso. Sendo condicional no ano passado, foi muito bom ele ter ficado mais um ano … está mais crescido … mais responsável.”



Mãe da M.
“Foi um bom ano, boa adaptação, bom desenvolvimento, boas aprendizagens. Vim à reunião no inicio do ano por engano de sala, mas depois de a ouvir, ela ficaria, tivesse de fazer o que quer que fosse.”

Apresento os gráficos do questionário, após o tratamento dos dados em Excell. A interpretação dos mesmos é que ficará oportunamente em documento escrito. Mas num rápida leitura, verifico que a avaliação feita anonimamente está de acordo com a oral.



2 Comments:

Ofélia said...

Excelente partilha! Obrigada.

Anónimo said...

Mais uma vez,digo;NAO TEMOS NADA A DIZER,OU RECLAMAR, A NAO SER,OBRIGADA!
Bjkas,mae Isabel

 
Templates Mamanunes