domingo, 28 de março de 2010

Dia Internacional do Livro Infantil



Ver aqui.

sexta-feira, 26 de março de 2010

É tempo de renascer ...



Tempo de iniciar novos projectos.
Tempo de Primavera.
Tempo de luz e de sol.
Tempo de reorientar a nossa vida.
Tempo de sementeira.

O ovo Gigante

Hoje de manhã fomos colocar a nossa peça no ovo gigante e comum a todas as salas, que ficou muito bonito. Quando lá chegámos, já 6 salas tinham colocado a sua. Com mais uma nossa, ficaram 7. Mas ainda faltavam 4 peças, pois no total somos 11 salas de aula.



E o nosso ovo ficou assim:



Não ficou lindo e original?

É preciso articular com o 1º Ciclo...

Como tínhamos já contado, o Guilherme, o Rodrigo e o Tomás foram passar a manhã com a sala 4, que é a sala do 4º ano. E estas foram as fotos que o Tomás tirou nesse dia.

Notícias da Pequenada - boletim 0

Já foi hoje para as nossas casas o boletim 0, Notícias da Pequenada, o boletim com notícias de todas as salas da nossa escola e que contou com a colaboração e o esforço de todos nós: da Associação de Pais, de todos os professores que trabalham na nossa escola e, claro, de nós, os alunos!
Estamos todos de parabéns!!
A notícia escolhida por nós, foi o que pesquisámos acerca dos animais.




E até há quem consiga ler com o livro ao contrário ...

quinta-feira, 25 de março de 2010

À caça da peça perdida ...

Ontem de manhã recebemos a visita muito especial de uma coelhinha, que nos trazia um enigma: tínhamos de decifrar umas palavras cruzadas e a pista para ir à procura de uma peça de um puzzle gigante a ser construído por todas as salas.Então, de tarde, lá fomos à procura:"livros de animais", era o que dizia a nossa pista. Depois de um levantamento de hipóteses,havia 2 mais votadas: caixote do lixo da rua e na Casa do Folhas. Como tínhamos estado há pouco tempo nas prateleiras dos livros dos animais na biblioteca, foi fácil lá chegar, pois não estava no caixote do lixo da rua nem na sala polivalente, mas depois não víamos a peça! Mas finalmente lá a achámos e na sala começamos a colagem dela. Ficou bonita, mas estamos curiosos para a ver no puzzle gigante. O que será?
A nossa peça ficou assim:


Amêndoas ou caramelos???

Na quarta-feira fizemos as amêndoas. Precisámos de açúcar, miolo de amêndoa e pau de canela. O pau de canela veio da Indonésia e a amêndoa dos Estados Unidos da América, que são países muito longes do nosso. A Leonor falou-nos do prazo de validade e da sua importância e que no Algarve também existem amendoeiras, que é a árvore que nos dá a amêndoa. E não sabíamos que o pau de canela é a casca de uma árvore ...

(Fonte: zedemello.blogspot.com)
Esta é a cana do açucar, de onde se extrai o açucar:

(Fonte:http://projetos.inpa.gov.br/ctpetro/pg_noticias.php?vID=120)
E a rainha da festa:a amêndoa!

Quisemos fazer a receita da Ana, mas achamos que elas ficaram mais tipo amêndoas caramelizadas.
Na quinta-feira a Leonor recortou um quadrado de papel metalizado para cada e dividi-mo-las por todos: deu 8 amêndoas a cada um, o que dá uma amêndoa para cada um da família e ainda sobravam. Só a Leonor e o Tomás é que precisavam de 6 amêndoas -pai, mãe e 3 irmãos - e todos os outros são menos de 6 na família. A Maria João deu 4 voltas e por cada volta gastou 44 amêndoas e nós ainda comemos ... por isso ainda tínhamos muitas. Todos gostámos, menos o Matias que não gostou e a Joana que não quis experimentar. E claro ... depois dos doces é importante lavar os dentes.

À volta da mesa onde estava o fogão, a Leonor fez um risco no chão e que nós não podíamos ultrapassar para nossa segurança, pois temos de ter muito cuidado com os acidentes e com a nossa segurança. Claro que temos de agradecer à Maria João, a nossa auxiliar,que é uma grande cozinheira e que nos deu uma grande ajuda, pois as amêndoas demoraram a fazer e depois de termos visto como se faziam, a Leonor ocupou-se connosco a fazer outras coisas.

Teatro da Fada Palavrinha

Já o Pedro nos contou esta história, mas hoje, dia 24, foi diferente:tivemos a surpresa de vermos a sua dramatização pela sala 4 e pela sala 5 das professoras Carla Vilar e Eulália.



Gostámos tanto de ver os nossos amigos, que quando a Leonor nos disse que podíamos fazer um teatro com eles, nem quisemos esperar e dissemos logo que queríamos fazer:
- O D.Afonso Henriques!
- Para isso vão ter de escrever uma carta, meninos.Quem escreve?
- Eu, disse o Rodrigo.
- Então ditas a carta, eu escrevo e depois tu copias, Rodrigo?
O Rodrigo ditou, a Leonor escreveu e depois ele copiou:


Ficou assim:


Fomos levar a carta à sala dos amigos e a professora Carla "conseguiu ler tudinho e convidou-nos para lá irmos amanhã", disse -nos o Rodrigo. E não é que aceitaram o convite? Hoje de manhã (dia 25)o Rodrigo e o Guilherme foram para a sala 4 aprender a fazer pompons e o Tomás, que adora tirar fotografias, foi o fotógrafo que os acompanhou.
O Guilherme de manhã trouxe um livro do D.Afonso Henriques, uma coroa e uma espada que ele tinha em casa, mas não disse nada à Leonor e nós não percebemos que era para o teatro. A mãe dele é que contou à Leonor à tarde. Não se usaram hoje, mas ainda se vão usar.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Serão ovos-voadores ou ovos-coelhos?

Preparando o trabalho de final de período, de manhã a Leonor apresentou-nos a ideia de fazermos um ovo em cartolina, decorado como cada um quisesse e depois fazíamos nós umas amêndoas (receita da Ana França)para colocar lá dentro. Mas, como somos muito criativos, o Gonçalo disse que o ovo ficava mesmo, mesmo bem, era com umas orelhas. E vai daí e a Leonor acrescentou umas orelhas! Mas, o Rodrigo disse que bem, bem ... ficava era com uns pés! E a Leonor pôs uns pés!
E ficaram assim:


Para os decorar, quem quis utilizou aguarelas, que ainda não tínhamos experimentado, e quem quis utilizou lápis de cera. Uns e outros ficaram bem lindos!
Mas, ainda se teve a ideia de pôr uns olhinhos e a Leonor pequena teve a ideia de os marcar assim:



terça-feira, 23 de março de 2010

Dia da Água


(Ilustração de Ajubel, aqui)

Na segunda-feira fomos "ocupar" a Casa do Folhas porque a Leonor
queria falar connosco acerca das florestas e de como elas são importantes para nós (dão-nos o papel, o oxigénio, frutos, fazem-nos sentir bem quando passeamos numa floresta, o perigo dos incêndios, a importância de as mantermos limpas...) e da água, que é muito importante para todos os seres vivos, animais e pessoas, sendo o nosso corpo essencialmente constituído por água. A água também está no topo da nossa pirâmide alimentar, por exemplo, por ser tão importante. Sem água não vivemos.
O desafio lançado pelo grupo que dinamizou este dia consistia em recortarmos e decorarmos 3 gotas de água, mas uma gota desapareceu, quando se calhar foi recortada...As frases construídas pelo grupo foram:

À tarde voltámos à Casa do Folhas para ver a história do Ciclo da Água.

domingo, 21 de março de 2010

Chegou também a Primavera


Primavera (Giuseppe Arcimboldo, 1573))
(Fonte:aqui e aqui)
A Juca e a Lenita sugeriram-me, através dos seus blogues, ir em busca de uma pintura e escolhi esta. Significa a chegada da Primavera.
Hoje, dia 21 de Março,também se comemora o Dia Mundial da Poesia. Mais uma comemoração ...
Destaco Manuel António Pina, "O pássaro da Cabeça":



"Sou o pássaro que canta dentro da tua cabeça,
que canta na tua garganta,
que canta onde lhe apeteça.
Sou o pássaro que voa dentro do teu coração
e do de qualquer pessoa
(mesmo as que julgas que não). (...)"


(Fonte: imagem retirada da net)

sábado, 20 de março de 2010

22 de Março - Dia Mundial da Água e Dia Mundial da Floresta e Dia da Árvore

O Dia Mundial da Água é comemorado no próximo dia 22.
Também se comemora o Dia Mundial da Floresta e Dia da Árvore.A comemoração oficial do Dia da Árvore teve lugar pela primeira vez no estado norte-americano do Nebraska, em 1872. John Stirling Morton conseguiu induzir toda a população a consagrar um dia no ano à plantação ordenada de diversas árvores para resolver o problema da escassez de material lenhoso.A Festa da Árvore rapidamente se expandiu a quase todos os países do mundo, e em Portugal comemorou-se pala primeira vez a 9 de Março de 1913.Em 1971 e na sequência de uma proposta da Confederação Europeia de Agricultores, que mereceu o melhor acolhimento da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), foi estabelecido o Dia Florestal Mundial com o objectivo de sensibilizar as populações para a importância da floresta na manutenção da vida na Terra.Em 21 de Março de 1972 - início da Primavera no Hemisfério Norte - foi comemorado o primeiro DIA MUNDIAL DA FLORESTA em vários países, entre os quais Portugal.
Fonte: ICN (http://www.icn.pt/)e aqui.
E porque uma imagem, às vezes, vale por mil palavras ...
GOTAS DE ÁGUA










O Rodrigo conta ...

A Carolina trouxe um livro de casa e, das muitas histórias, a Leonor contou-nos a história que se chamava "O rato do campo e o rato da cidade". Decidimos que podia ser essa história a ser contada por nós na Estafeta do Conto e também decidimos que o menino que a iria contar era o Rodrigo. O Guilherme também quis sentar-se com ele para o ajudar. Como testemunho, aproveitámos um bocado de esponja que o Diogo Daniel, pensamos que foi ele, trouxe e a Leonor fez um pequeno rato, que depois uma menina pintou no dia 15.
Então, no dia 16, quem quis acompanhou o Rodrigo e lá fomos para a Casa do Folhas, onde nos esperava a Sala Azul.
A história conta-nos que devemos viver felizes com o que temos e não devemos querer ter tudo e até viver em aflição e assustados, como o rato da cidade, que tinha uma casa muito grande e muita comida, mas andava sempre com o coração aos saltos de tanto susto!
Aqui estão as fotos e o filme do Rodrigo a contar.


A prenda para o nosso pai

Começamos a fazer a prenda do pai no dia 10, que já foi na semana passada, e toda esta semana continuámos. É que como somos nós que fazemos tudo, ou quase,só com umas pequenas ajudas da Leonor e da João, demoramos algum tempo. Mas valeu a pena, porque ficou tudo muito bem! Os postais demoraram um bocadinho: recortámos primeiro um coração no meio, mas depois quisemos colar muitos corações e de um simples postal, quase passaram a quadro e até já nem deram para dobrar. O primeiro coração recortámos nós, mas os seguintes, os que eram em cartolina cartonada, teve de ser a Leonor. Aquilo era mesmo muito duro! Não tínhamos força ...
Reciclámos tudo: o jogo e as peças eram de caixas de cartão da mãe do Ricardo e as cartolinas eram de restos que tínhamos de outros trabalhos.
A Leonor ainda nos contou 2 histórias só a falar do pai: "Pê de pai" e "O meu pai".
Também falámos porque é que o nosso pai era tão importante na nossa vida: é porque ele nos deu a vida, sem ele nós não nascíamos! Cada um falou do que gostava mais e menos no pai. Também falámos que é muito importante os pais nos chamarem à atenção quando fazemos coisas erradas, por que eles são mais velhos e sabem melhor do que nós acerca das coisas que devemos e não devemos fazer. Um dia nós também vamos fazer assim com os nossos filhos. É a vida, como diz a Leonor.

Os aviões do João

Na terça-feira, dia 16, ainda estávamos no ginásio quando o João entrou, trazendo um grande saco com ele. O que seria? O João trouxe alguns dos seus aviões a pedido da Leonor, que sabia que é um assunto que muito interessa ao João. E ele trouxe alguns e aprendemos imensas coisas com ele.



Este é um helicóptero com 2 hélices.

Ele transporta pessoas e carga, podendo até transportar camiões.

Este é um avião que transporta pessoas e a bagagem delas.


O João trouxe 2 helicópteros e 3 aviões. Eles são um meio de transporte aéreo, mas ainda temos os transportes terrestres, que andam na terra, e os marítimos, que andam no mar e nos rios.


Foi muito útil o João ter trazido estes brinquedos de que ele gosta tanto, pois também aprendemos coisas novas, das quais ainda não tínhamos falado.
Obrigado, João.

Quem nos passou o testemunho na Estafeta do Conto?

Passaram-nos o testemunho e contaram-nos a história na segunda-feira, dia 15, logo pela manhã e foi a Sala Verde, com a nossa amiga Maria que nos contou a "História do Velho, o rapaz e o burro", uma história tradicional que nos ensina que não nos devemos deixar guiar pelos conselhos dos outros e pensar pela nossa própria cabeça.
No final recebemos a Caixa do Testemunho e o burrinho que fizeram, como uma das personagens principais da história.
O burrinho estava muito bonito. E sabem que o burro é um animal em vias de extinção? Quer dizer que já existem muito poucos ...Devemos mesmo, mesmo preservar o nosso ambiente e os seres que nela habitam.

Ainda os animais ...

Na sexta-feira, dia 12, os mais velhos foram com a Leonor à Biblioteca para iniciar o cartaz dos animais. Tivemos a ajuda da professora Cristina Loureiro, que nos auxiliou a tirar fotos de alguns animais do computador.
Lembram-se que toda esta investigação partiu da história da Ovelha Carlota e do trabalho do Lourenço, que era este?





Os filmes que fizemos, e há sempre alguém que anda fora da tarefa e prefere ensaiar as entrevistas. A quem será que ele está a imitar?

video






Pela imagem também se educam os sentidos. Uma imagem vale por mil palavras...









Começámos a trabalhar na prenda para o pai

No dia 10 de Março, após tantos dias de chuva, como fazia um sol maravilhoso, que aquece o nosso corpo e a nossa alma, resolvemos pôr 2 mesas na rua para trabalharmos e aproveitarmos o bom tempo. Começamos a fazer a prenda para o Dia do Pai, com o cartão que a mãe do Ricardo nos trouxe. Resolvemos fazer o Jogo do Galo, que é bom para o raciocínio e estratégia e para jogarmos em família. A Leonor queria que todos o soubéssemos jogar antes do dia, mas ... vamos lá ver se todos aprendemos...







Os nossos animais de estimação

Na semana de 8 a 12 de Março podíamos trazer os nossos animais de estimação à escola. A Carolina trouxe o seu coelhinho (ou seria uma coelhita??) e o Guilherme trouxe o seu hamster. A Carolina ainda ofereceu 2 peixes para o nosso aquário. Muito obrigado, pais!

As fotos e os filmes que fizemos

Eis aqui as fotos que cada vez saber tirar melhor! Esta semana a Leonor também nos ensinou a filmar.


Dia do Pai

A todos os "Maus Pais".

domingo, 14 de março de 2010

As mãos são para proteger


Ache outros vídeos como este em INTERACTiC 2.0 - escola com tic social

quarta-feira, 10 de março de 2010

A Playlist e os pedidos de música

A música é quase uma constante na nossa sala e então vi nos blogues de outras colegas, da Juca e da Lenita, tentei e também consegui colocar no blogue. Claro que agradeço a ambas e a Internet é boa porque também nos permite isto: aprendermos uns com os outros. E o blogue ficou até bem mais agradável.
Contudo, a Playlist das músicas que se incluíram obedeceram a uma selecção criteriosa, tendo em conta os pedidos de algumas crianças. Assim:
- o Guilherme, o Lourenço e o Gonçalo pediram músicas com piano, além de que o Gonçalo toca piano;
- A Ana pediu uma música com tambores;
- o Martim pediu uma música com guitarra, porque ele toca guitarra;
- A Leonor, que gosta muito de dançar, pediu especialmente a música do Panda (Vem que eu vou te ensinar) e os Abba
- A Inês pediu o "Perfeito Coração"
- O Matias e o Gonçalo pediram "O leão que dança"
- A Margarida Dias, que dança Ballet, tem "O lago dos Cisnes"
- O Gonçalo é ainda fã incondicional dos Tokio Hotel;
- O Rodrigo pediu bateria;
- A Mariana e a Margarida Miranda pediram violino, além de que a Margarida Miranda toca violino;
E aguardo mais pedidos ...
Gostaram?

sábado, 6 de março de 2010

Leandro, o menino que foi vítima mortal de Bullying

Como docente e como pessoa, sinto-me solidária com a dor que o Leandro sentiu, com o desespero e que o levou à escolha de partir definitivamente do mundo físico. Não posso deixar de aqui lamentar profundamente a sua perda e de me sentir igualmente solidária com o luto dos pais do Leandro, o menino que morreu no passado dia 3, vítima de bullying. Que sinais faltou a este menino dar para que um qualquer adulto os pudesse interpretar e pudesse atempadamente intervir? Ou andarão assim os adultos tão exacerbados nos seus problemas?
Que possamos reflectir sobre esta dramática realidade, pois quer os agredidos quer os agressores, necessitam de auxílio para ultrapassar questões tão problemáticas como, por um lado, como agressor obter prazer em fazer sofrer o outro e, por outro lado, como agredido, não saber lidar, ultrapassar e reagir a tais situações.

Não há idade para o bullying... devemos estar atentos.



Transcrevo seguidamente o artigo excelente de HELENA TEIXEIRA DA SILVA, Jornal de Notícias

Morreu para evitar agressão de colegas

Leandro, 12 anos, é a primeira vítima mortal conhecida de bullying em Portugal. Atirou-se ao rio Tua. Colegas garantem que não é caso único de violência na escola
2010-03-04
HELENA TEIXEIRA DA SILVA

Ontem, quarta-feira, Christian não foi à escola. No dia anterior, almoçou à pressa na cantina, saiu aflito para o recreio quando viu, mais uma vez, o corpo franzino de Leandro, primo e amigo de 12 anos, ser espancado por dois colegas mais velhos.

Depois, perseguiu o rapaz que, cansado da tortura de quase todos os dias, ameaçou lançar-se da ponte, ali a dois passos. Perseguiu-o, impediu-o. Por fim, imitou-lhe os passos, degrau a degrau, até à margem do rio Tua. O primeiro estava decidido a morrer: despiu-se, atirou-se. O segundo estava decidido a salvá-lo: despiu-se, atirou-se.

Leandro morreu - é a primeira vítima mortal de bullying em Portugal; Christian agarrou-se a uma pedra para sobreviver. Antes, arriscou a vida a dobrar: digestão em curso em água gelada. Eram 13.40 horas. Ontem não foi à escola. Os pesadelos atrasaram-lhe o sono. Acordou cansado, alheado, emudecido. Leandro não é caso único. Ele também já foi agredido.

Christian não é o super-homem; não é sequer rapaz encorpado; é um menino assustado, tem 11 anos, não terá 40 quilos, o rosto salpicado de sardas e tristeza. Os olhos dos pais pregados nele, os dele cravados no chão da sala. Não estava sozinho na luta. "Estava eu, o Márcio (irmão gémeo de Leandro), o Ricardo...", este e aquele, os nomes dos amigos como um ditado, ele encolhido, no colo um cão minúsculo a quem insistentemente afaga o pêlo. "Não conseguimos salvá-lo, já estávamos tão cansados". O lamento sabe a resignação e à inquietação de quem veio de outra escola, em Andorra, Espanha, onde "à mais pequena coisa, os professores chamavam os pais", recordam, "preocupados", Júlio e Júlia Panda, pais de Christian, filhos da terra, Mirandela, no cume de Trás-os-Montes, retornados há pouco mais de um ano, trazidos com a crise e o desemprego. Vivem agora na aldeia de Cedainhos, a 15 quilómetros da cidade, lugar estacionado no tempo, onde vivia também Leandro e onde todas as casas, com laços mais ou menos próximos, são casas da mesma família.

Escola sem luto nem explicação

Um palmo acima, na mesma rua, vive a avó, Zélia Morais. Tem a cozinha cheia netos, mais de dez, netos de todas as idades, os gritos inocentes dos mais novos a misturarem-se na dor dos outros. Sabe tudo ao mesmo fado. É a imagem da desolação, ela prostrada no sofá, o coração com febre. "O meu menino era tão humilde. Todos os dias vinha saber de mim. Todos os dias", palavras repetidas embrulhadas em falta de ar. "E agora?" Agora, responde o filho Augusto, homem de meia idade que a coluna prendeu a uma cadeira de rodas, "agora, nem que tenha de vender tudo, vou até ao fim do mundo para saber quem levou o meu sobrinho a matar-se". A ameaça parece dura, dura um segundo, desfaz-se em pranto. "O meu menino sentava-se aqui comigo, conversava como adulto, era a minha companhia". Os pais de Leandro também vivem ali; não estão. "Estão em casa amiga, passaram a noite no hospital".

Ontem Christian não foi à escola. Mas na escola dele - E.B. 2,3 Luciano Cordeiro, onde partilhava o 6º ano com Leandro -, o dia foi normal. Nem portas fechadas nem luto nem explicação. O porteiro do turno da tarde entrou às 15 horas, bem disposto. "Sou jornalista, queria uma entrevista", ironizou. Tiro no pé. O JN estava lá. Perdeu o humor, convidou-nos a sair "já". A docente que saía do recinto também foi avisada, inverteu a marcha, já não saiu. Havia motivos para baterem tantas vezes no Leandro? Responde Christian: "Todos batem em todos".

(O artigo encontra-se aqui)

sexta-feira, 5 de março de 2010

Até que enfim é sexta-feira, para estarmos mais tempo com os pais ...

De tarde fomos à biblioteca e tínhamos uma surpresa para o Pedro: no dia anterior o Matias fez o livro mais pequeno do mundo, pelo menos deve ser o mais pequeno da escola, e sozinho! O Pedro achou muito boa a ideia brilhante que o Matias teve. Ele já é um bom leitor!


Depois do livro da Leonor, que era dos filhos dela e já é muito velhinho, mas que parece novo porque os filhos cuidaram muito bem dele, o Pedro contou-nos a história que se chamava "O Gato Gonçalves", da Biblioteca Digital, e que alguns de nós já tinham visto na sala.Mas com ele a contar foi muito mais giro! Obrigado, Pedro.

Livros na sala e outras actividades

Na sexta-feira de manhã estivemos a fazer a avaliação da semana e registámos no Livro de Actas das Reuniões. Também avaliámos como é que cada um de nós recortava e vimos quem precisava de treinar mais para recortar melhor. Depois alguns de nós foram tratar dos nossos 3 animais de estimação com a Leonor enquanto uns viam os livros que trouxemos da biblioteca.


Algumas meninas estiveram a dançar com o CD que a Carolina trouxe da Hannah Montana e os rapazes estiveram com o Gonçalo, mais uma vez, a ouvir os Tokio Hotel e outras músicas no computador. Mas a Leonor já disse que já chega de Tokio Hotel ...

Your pictures and fotos in a slideshow on MySpace, eBay, Facebook or your website!view all pictures of this slideshow

O cartão que a mãe do Ricardo nos trouxe serviu para ...

O cartão que a mãe do Ricardo nos trouxe vai servir para fazer uma surpresa ao pai (não se pode dizer que é surpresa)e a Inês o o Rodrigo já estão peritos a utilizar a régua para ajudar a Leonor a fazer quadrados com 22 centímetros e meio, que é do que vamos precisar. A Leonor começou a recortar na quarta-feira e nós continuámos na quarta:


Alguns meninos também brincaram com os restos do cartão e ele foi um barco e até uma cama (ver em fotos da semana). No dia seguinte, lembrámos-nos de fazer espadas, como tínhamos já feito noutra altura, e o Rodrigo, que é quem tem força para cortar este cartão, deu-nos uma ajuda.



Mas o David ainda quis utilizar o cartão para fazer quadrados.

As revistas também são um recurso

Como na quinta-feira de manhã fomos à biblioteca procurar livros, de tarde a Leonor sugeriu, e alguns de nós aceitaram, procurar e recortar animais das revistas. Só a Joana se lembrou de trazer uma de casa com animais ... mas ainda encontrámos muitos, que colocámos num cesto à espera de serem utilizados.





 
Templates Mamanunes